Amor Presente – Amor Pré Sente

100

“Em Rûmî passamos da metafísica do ser para a metafísica do não-ser. […] E os místicos morrem de amor. A vida e a morte iluminam as águas do silêncio. Do silêncio do não-ser. Da fruição divina. O Tudo e o Nada. Desabitar-se para habitar-se.
Sair para não-sair. Morrer pra não-morrer. Tal a dialética dos místicos. Seguir da névoa ao resplendor da Lua. Das águas turvas para as águas claras. E assim, para os sunitas, as águas deste Mundo movem-se, entre fluxo e refluxo, criação e destruição.”
– Marco Lucchesi, em “A Sombra do Amado: Poemas de Rûmî”.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: